Frazetta – Preto no Branco 3

Eu adoro o Frazetta! Adoro mesmo! E acho que todos vocês já perceberam isto, devido a quantidade de vezes que eu já falei do homem por aqui.

No entanto por mais que eu o adore não posso continuar a ficar postando sempre e sempre mais imagens dele aqui no blog. Existem muitos outros artistas talentosos esperando para darem as caras. Por isto este é meu último post sobre ele. Mais uma vez com belíssimas imagens em preto e branco que, na minha singela opinião, chegam a ser mais fortes e marcantes que as pinturas a óleo… na maioria das vezes, pelo menos!

Apreciem mais um porrilhão de artes deste mestre e, lembrem-se: estudem anatomia, seus viados!

Hugo Pratt – Pegador dos Quadrinhos

Era uma vez um italiano galanteador. Sujeito boa pinta, um dia cansou do marasmo caseiro e resolveu sair para velejar. Passou a vida toda navegando por entre mares bravis, visitando terras exóticas e comendo toda a mulherada que ele via pela frente. Bonitão, garanhão incorrigível e muito, muito talentoso com o desenho.

Este é Hugo Pratt, um dos poucos artistas que pode falar de histórias de aventuras com propriedade, pois ele realmente viveu MUITAS! Velejou pela Europa, pelo Brasil, pelas Américas… seu personagem mais famoso, Corto Maltese, é praticamente seu alter-ego; tanto no espírito aventureiro quanto na personalidade de comedor.

Abaixo você confere o seu traço único (coisa raríssima!) e os melhores perfis do maior tigrão dos sete-mares!

Gustave Doré – Ilustrando Mitos

Outro grandessíssimo mestre da ilustração que eu demorei pracarai para falar aqui: Gustave Doré!

Nascido no século XIX, notobilizou-se como um dos grandes ilustradores de sua época. O número de pranchas da sua autoria ultrapassa 10.000! E todas elas uma obra de arte à parte. Utilizando o método da xilogravura (já que na época as deficiências tecnológicas de impressão não permitia muitos métodos de reprodução de desenhos) ele deliciou as massas leitoras com imagens belíssimas de Contos de Fadas, narrativas épicas, histórias de terror e até a bíblia. Também trabalhou ilustrando matérias de jornais, quando a máquina fotográfica ainda era rara, cara e difícil de ter suas imagens reproduzidas.

Porém seu trabalho mais famoso foi com o trampo que ele pegou para fazer as ilustrações de A Divina Comédia. Sua visão particular de uma das maiores obras ocidentais de todos os tempos ficou gravada no imaginário popular. Foi tão bem aceita que até hoje nenhum editor com algum juízo atrás dos óculos garrafais ousa reeditar esta obra de Dante sem as ilustrações de Doré.

Veja abaixo algumas destas obras, em todos os seus detalhes! Ah, e uma coisa boa é que é MUITO fácil encontrar ilustras deste cara por aí! Aqui tem apenas 11, mas qualquer pesquisa vai te levar à muitas outras!