Figment Forms – A Lenda

Existem alguns artistas que trampam com fanarts belíssimos e que só orgulham a franquia que homenageiam. É o caso de Figment Forms, o pseudônimo de uma americana que há algum tempo, vem publicando no tumblr uma linda história em quadrinhos do universo A Lenda de Zelda!

Você pode reparar que o traço dela é realista e primoroso… lindedaço! e sua história é bem divertida! Você pode conferir o trampo da mina AQUI e verificar uma amostra do traço dela logo abaixo!

Simon Bisley – Bye bye

Bão, galera… este é o último post do nosso habitué Simon Bisley.

Estamos chegando no limite permitido de arquivos de midias alocados aqui. Éééééé… postar imagem bonitona e em boa qualidade consome uns bons bits!

No entanto, mesmo quando as postagens pararem, o blog continuará no ar – embora com estas políticas loucas do wordpress, não custa nada a moçada salvar as imagens que gosta mais por precaução, né? Por isto não fiquem (muito) tristes.

E chega de xororô, vamos ver a última leva de pranchas do mestre Bisley aqui no blog!

p_0011 002 4APaA4zL_3006150833161 13c-issue1-pg2+3-copy-Large-1024x796 15 119436_20080214231753_large Angur-Frostbeard-By-Simon-Bisley bad-boy BB51 bisley sincity Bisley The Tick Bisley

Megan Olkers|Simon Bisley draws Simon Coldwater fighting|Simon Coldwater|simon coldwater

Simon Coldwater vs the Sassy Assassins|Simon Bisley draws the epic battle between Simon Coldwater and the Sassy Assassins|Simon Coldwater|simon coldwater

Double nunchuks|Double nunchucks and big boobs, my favorite combinantion|Simon Coldwater|simon coldwater,boobs,female

bizdoom bizpaintlarge blizzard_via_staples Candace coldsamurai-773x1024 comic1_page11

Conan painted by Simon Bisley|One of the greatest paintings of Conan. |Pinups|conan,1995,sword,birds

Convention_Cover Lingerie-kickboxer mary-reed MP MP_Splash n1oPqTT9_0907150656361

Capas – Kripta/Eerie

Nos Estados Unidos havia um gênero de quadrinhos que fazia um baita de um sucesso entre a pirralhada: quadrinhos de terror!

Nos anos 40 e início dos 50 eles vendiam igual água, mas infelizmente o abastecimento foi cortado: uma caça às bruxas aos quadrinhos aconteceu e este gênero foi acusado de perverter e traumatizar as crianças. Vixe! E por isto, para o gênero não morrer de ver, os editores tiveram que fazer uns paranauê.

A Eerie foi publicada em 1966 nos Estados Unidos carregando o rótulo de “revista” e não de “quadrinhos”, uma forma de driblar a censura. No Brasil, a sua versão brasileira Kripta começou a ser publicada na metade dos anos 70 e fez um baita dum sucesso.

Você pode conferir abaixo algumas destas capas. Quem é colecionador de quadrinho da velhíssima guarda (ou paga de “vintage”) certamente vai se emocionar com estas ilustras fodas!