Meissonier – Vencendo a Guerra

Da Vinci, Michellangelo… epa, tô falando de pintores clássicos muito mainstream! Tá na hora de falar dos mais desconhecidos – e ainda assim fodidaços!

O senhor Jean-Louis Ernest Meissonier foi um pintor francês do século XIX que adorava pintar temas do seu país, sobretudo guerras napoleônicas. Também adorava pintar heróis cavalheirescos, como os mosqueteiros de Alexandre Dumas. Suas telas eram belíssimas e punhetadas ao extremo – haja visto a quantidade de personagens que uma só podia conter. Não ficou muito famoso, infelizmente, mas na França ainda recebe grande prestígio.

Gil Elvgren – O rei das pinápis

Embora eu não seja lésbica nem nada eu adoro ficar olhando e admirando pinápis (escreve-se pin-up) femininas. O corpo da mulher, convenhamos, é uma obra de arte natural. Cheio de curvas e belas nuances, mesmo quando ela é mais gordinha – ao contrario do corpo do homem que é uma coisa reta e que parece que tem sempre algo assimetricamente sobrando na linha da cintura.

Um dos trampos de pinápis femininas que eu mais gosto é desse tiozinho safado chamado Gil Elvgren. Praticamente o inventor do clichê desta arte. Muitas de suas obras foram replicadas, remodeladas e relidas através dos anos por outros artistas que sempre babaram no traço deste cara – depois de babar nas mulheres dele, claro!

Veja abaixo um pequeno apanhado da vasta obra deste cara.

Park Joong-Ki – Gaijin

A Coréia do Norte tá fodis! Com o filhote do ditador de cabelo horroroso dando uma de maluco e querendo explodir geral as coisas vão ficando tensas. Mas a Coréia do Sul continua de boua, fornecendo para nós alguns dos melhores desenhadores de mangás da atualidade. E hoje è a vez de Park Joong-Ki

Seu primeiro trabalho foi o autoral Dangu, publicado no Brasil (por milagre, até o fim) pela Conrad e concebido quando ele ainda estava em seu país de origem. Veio para o Japão para desenhar sob a batuta de outro roteirista o ruizinho  Over Bleed, que só se salva pela arte mesmo. Atualmente voltou para a Coréia e encontra-se num novo projeto autoral em gestação.

Veja algumas pranchas do cara logo abaixo. E aproveitem para apreciar sua arte… antes que a Coréia do Norte faça uma quizumba com a do Sul!

Henfil – Escrevendo Desenhos

Cartunistas dificilmente integram o hall dos melhores desenhistas porque a maioria deles se dedica a fazer traços simplórios apenas para ilustrar situações engraçadas.

Henfil poderia ser um exemplo disso, não fosse por um detalhe: seu traço podia ser simples, mas jamais simplista! Dono de um estilo caligráfico que até hoje ninguém conseguiu imitar, além de ter um tino para roteiro e tragicomédia, ele certamente foi um dos grandes quadrinistas brasileiros!

Uma pena que o grande público hoje no máximo tenha ouvido falar dele como nome de biblioteca ou espaços reservados para quadrinhos nas mesmas. Por isso, no post de hoje, vamos não apenas conferir o traço animal do Henfil como também curtir algumas de suas tirinhas – mais de quarenta, o post recordista de imagens deste blog, mas Henfil merece! Com vocês A Turma da Graúna e o Fradinho!

Lee Bermejo – Julgando pela Capa

Lee Bermejo é um dos meus artistas de comics favoritos.

Seu trampo é espetacular e como todo artista dos isteites que é acima da média ele costuma fazer muitas capas de quadrinhos americanos. E o bom é que ele, ao contrário da maioria dos capistas, tem uma produção regular no “miolo” das revistas.

Pago um pau especial para o tratamento que ele dá nas roupas dos personagens – um detalhe aparentemente bobo e que são poucos os que manjam. Fica super natural!

Sem mais, apreciem as artes do cara – e no final um pequeno bonus para mostrar que o mano manda bem no estilo realista e no cartoon!