Moebius – Hermetismo nos quadrinhos

Depois de panguar pra caramba para publicar o post do mestre Hal Foster no último domingo percebi que também comi mosca com MUITOS outros grandes mestres do traço! Irei corrigir este erro aos poucos. Um deles apresento hoje, embora ele próprio dispense apresentações.

Seu nome é Jean Giraud, mas ele é mais conhecido como Moebius.

Um dos grandes fodões da França, este tiozinho já meteu o bedelho em TUDO que você possa imaginar em termos de quadrinhos (ou Bande Dessinée para os franceses). Além de ter muitas obras autorais, entre elas Garagem Hermética, XIII, Arzach, Le Monde d’Edena e outros também desenhou o Surfista Prateado, Pequeno Nemo e Blueberry. Também já trabalhou como design em filmes como O Quinto Elemento, Tron (o original de 1982), o Segredo do Abismo e Alien: o oitavo passageiro! Ou seja: o cara é foda! Não tem mais o que dizer!

Ou melhor: vamos deixar que a arte do cara fale por si só!

Jon J Muth – O Devaneio da Aquarela

Senhor Muth é um destes ilustradores que não gosta do trivial. Em época que todos estavam tentando imitar o traço dos bam-bam-bans das comics americanas ele foi estudar aquarela, shodo (caligrafia japonesa) e desenho na Europa. Ele não queria apenas ser um desenhador de páginas de quadrinhos como a maioria dos seus coleguinhas artistas… ele queria ser um ilustrador!

Por isso quando migrou para esta mídia chamou muito a atenção com seu estilo, tanto que uma das primeiras hqs que ilustrou, Moonshadow, tornou-se um marco como sendo a primeira hq americana totalmente pintada. Esta belíssima obra chegou no Brasil no final dos anos oitenta e, como tinha um perfil diferente da maioria dos comics (muito texto, características literárias e oníricas) foi logo taxada como uma história em quadrinhos “chata” por muitos (IGNORANTES!!!).

Eis abaixo algumas pranchas desta obra, inclusive várias que ficaram inéditas! Babem nas aquarelas belíssimas deste mestre!

Hal Foster – O Cavaleiro dos Quadrinhos

Este é um mestre que eu criminosamente demorei pracarai para falar aqui no blog!

Harold Rudolph Foster nasceu no Canadá no final do século XIX, época em que as histórias em quadrinhos mal existiam! Na época que começou a desenhar, “comics” tinha uma razão de ter esse nome: a maioria das paradas eram gags e cartuns humorísticos. Por isso ele não levou muito a sério a área e decidiu não investir seu talento – que ele conseguiu após suados e dificultosos anos trabalhando e estudando em escolas de arte longínquoas – nela… por enquanto!

No começo trabalhava como ilustrador e desenhava para revistas diversas, até que foi convidado para desenhar “Tarzan”, uma das primeiras hqs “sérias” publicadas nos Estados Unidos. No entanto, apesar do grande sucesso que o personagem conseguiu graças ao seu traço e suas habilidades narrativas, Foster decidiu tirar o seu de lá e partir para um projeto mais ousado: um projeto autoral chamado Principe Valente.

Com uma arte que elevou e MUITO o nível dos comics americanos (que no início do século XX eram basicamente cartuns estilizados), o jovem cavaleiro alcançou sucesso rapidamente. Mestre Hal inclusive até evitava de colocar balões nos quadros de Principe Valente para não depreciar sua arte – que era uma das melhores na época. Sua HQ fez história e rodou o mundo, aportando e ganhando fãs fervorosos inclusive no Brasil. A fama foi tamanha que ele foi eleito um membro da Great Britain’s Royal Society of Arts… quase um título de cavaleiro dos ilustradores!

Veja abaixo o traço do cara, principalmente nas cenas de luta de vários cavaleiros e cavalos matando uns aos outros. Mandava bem pra caralho!

Norman Rockwell – Simplesmente O Mestre

Ok, ok… chega de palhaçada! Vamos agora fazer um post mais digno para mestre Rockwell do que aquele do natal. Afinal ser lembrado como o empregadinho da Coca-Cola é dose!

Norman Rockwell é um dos foderosos da ilustração. Bem, isso você já sabe! E agora irei mostrar uma prova (como se precisasse!) do quão bonzão esse cara era. Belas ilustrações do cotidiano americano feitas em mil novecentos e bolinhas e que ainda soam bastante atuais e plásticas. Apreciem!

Edu Francisco – Pincel Indomável

Vamos ver as obras foderosas de mais um brazuca!

Nosso convidado hoje é o mestre Edu Francisco. Inicialmente um lambe-bolas da mega-estrela dos comics Joe Madureira, o gordinho plagiava o senhor Mad! na cara larga sem dó nem piedade! Porém, agora, depois de muito tempo afinando e lapidando o traço ele enfim conseguiu encontrar um estilo proprio MUITO foda!

Já trabalhou em editoras brazucas e agora manda a ver nas editoras gringas, num traço que mistura mangá com comics (um resquisito do seu ídalo Madureira) e que funciona muito bem. O mais impressionante certamente são suas pinceladas poderosas que, ao mesmo tempo que são firmes e precisas, também são malucas e aleatórias. Uma beleza de se ver!

Galeria do moçoilo ==> http://edufrancisco.deviantart.com/

Jim Lee – Marombados Forever

Vamos combinar… se no começo deste blog eu postei algumas coisas do senhor Scott Campbell por que não postar algo do Jim Lee, certo?

Ambos foram grandes famosões dos comics de super-herois dos anos 90. Uma pena que ambos pararam naquela década mesmo… (em termos de evolução, pois continuam a desenhar) mas tudo bem!  Jim Lee foi um dos fundadores da Image Comics e desenhador de praticamente TODOS os super-heróis famosos americanos. Algumas coisas eu ainda admiro muito neste coreano (sim! Ele não é americano… nem japones, como muita gente imaginou!), como o grande dinamismo, as tomadas de camera bacanas e o impacto visual.

Anyway, vejam algumas obras dele abaixo – que para quem curte comics, obviamente, não serão nenhuma novidade.

Vania Zouravliov – do Tudo um Pouco

Vamos de mais um russo este mês. Desta vez nosso convidado é Vania Zouravliov.

Esse malucão tem um traço belíssimo e temas extremamente variados: religião, morte, Japão, indio, escola, folclore de diversos países e, é claro, as tradições russas. Absolutamente TUDO lhe serve de inspiração. E sempre que pode ele dá um pequeno toque pervertido às imagens, mas sempre com uma aura poética.

Apreciem!