Yuni – YYY

Já vou logo avisando: quem não gosta de ver nudez arreda os olhos deste post!

Pois o que vou postar agora são imagens de pintos… muitos! E tetas! E bucetas! Sim, muita gente pelada a partir de agora! Cortesia do(a) nosso(a) bom amigo(a) Yuni e sua arte maravilhosa de corpos nus.

Aprecia quem quiser!

David Kassan – Cacete…

Antes que eu comece este novo post, olhem esta foto:

Legal, né?

Foto de uma moça bonita, pensativa, encostada no muro pensando na vida. Realmente uma foto simples, porém muito bacana de se admirar. Passa uma imagem utópica, talvez até um pouco lúgubre…

E sim, isto é uma foto.

A moça é que não é moça…

… é uma pintura.

ÓDIO!!!

Foi isso que eu senti quando conheci a arte deste viado do David Kassan! ÓDIO de ter sido enganada!!! ÓDIO deste maluco conseguir desenhar tão foderosamente e realisticamente bem!

Veja abaixo algumas destas “pseudo-fotos” dele e confira mais no site do disgramado: http://davidkassan.com/

Katsuya Terada – Metaru Manga-ka

Vamos a mais um ilustrador japa malucão. Hoje eu lhes apresento Katsuya Terada!

O estilo dele lembra bastante (pelo menos para mim) as artes da falecida Heavy Metal: undergroudão, safado e sinistro, bem oitestista! Um dos seus mangás mais famosos é Monkey King (uma releitura maluca de um dos mais famosos contos chineses mundiais “Viagem para o Oeste”) que lembra bastante o estilo desta revista, que faz muita falta!

Bem, imagens valem mais que palavras, certo? Confiram abaixo!

Killoffer – Odiando a Si Mesmo

É inevitável. Completamente inevitável. Mais cedo ou mais tarde todo quadrinista (TODO!) vai acabar desenhando a si mesmo – sobretudo os cartunistas e autores de tirinhas. E se não o fazem explicitamente, o fazem por meio de avatares e alter-egos.

Mas no caso de Patrice Killoffer ele ABUSA do direito de retratar-se a si mesmo!

Autor da sugestiva obra “676 Aparições de Killofer” (publicado no Brasil pela editora Barba Negra) este francês, dono de um traço cartunizado bem interessante, literalmente desenhou a si mesmo 676 vezes na obra em questão: mais! Quase todas as histórias dele são autobiografias, e sempre mostrando seu lado mais patético, derrotado e pervertido.

Veja abaixo algumas artes do maluco.

Ralph Steadman – Desenhista Gonzo

Era uma vez um jornalista louco. Mas louco, tão louco que ninguém sabia o que fazer com aquele traste. Ele até escrevia bem e tinha umas tiradas ácidas e sacanas bem legais, mas era um junkie imprestável na maior parte do tempo. Tentavam colocar ele para trabalhar, mas era complicado: mandava o plasma gel fazer uma matéria e ele NÃO fazia… mas mesmo assim sempre trazia um texto interessante escrito por ele em primeira pessoa. Na maioria das vezes quase não tinha porra nenhuma a ver com a pauta original, mas… uau! O cara escrevia bem mesmo!

Um belo dia cansaram de mandar fotógrafos bons e profissionais para acompanhá-lo para fazer as matérias (pois ele praticamente não as fazia) e enviaram para seguir este jornalista não um fotógrafo, mas um desenhista louco… tão louco que ninguém sabia o que fazer com ele também… juntou a abstinência com a vontade de dar uns tiros!

O nome deste jornalista era Hunter Thompson e o nome do desenhista era Ralph Steadman. E é deste último que iremos falar aqui.

Este respeitável senhor, que parece o seu avô depois de dar um tapa na pantera, tem como marca registrada traços incrivelmente rebeldes e punks, cores loucas e visão  lisérgica do mundo. Codilocô! Um dos caras que eu tento me espelhar desesperadamente!

Abaixo veja algumas artes do tiozinho e aqui o site deste junkie da melhor idade ==> http://www.ralphsteadman.com/

Frazetta – Preto no Branco 3

Eu adoro o Frazetta! Adoro mesmo! E acho que todos vocês já perceberam isto, devido a quantidade de vezes que eu já falei do homem por aqui.

No entanto por mais que eu o adore não posso continuar a ficar postando sempre e sempre mais imagens dele aqui no blog. Existem muitos outros artistas talentosos esperando para darem as caras. Por isto este é meu último post sobre ele. Mais uma vez com belíssimas imagens em preto e branco que, na minha singela opinião, chegam a ser mais fortes e marcantes que as pinturas a óleo… na maioria das vezes, pelo menos!

Apreciem mais um porrilhão de artes deste mestre e, lembrem-se: estudem anatomia, seus viados!

Hugo Pratt – Pegador dos Quadrinhos

Era uma vez um italiano galanteador. Sujeito boa pinta, um dia cansou do marasmo caseiro e resolveu sair para velejar. Passou a vida toda navegando por entre mares bravis, visitando terras exóticas e comendo toda a mulherada que ele via pela frente. Bonitão, garanhão incorrigível e muito, muito talentoso com o desenho.

Este é Hugo Pratt, um dos poucos artistas que pode falar de histórias de aventuras com propriedade, pois ele realmente viveu MUITAS! Velejou pela Europa, pelo Brasil, pelas Américas… seu personagem mais famoso, Corto Maltese, é praticamente seu alter-ego; tanto no espírito aventureiro quanto na personalidade de comedor.

Abaixo você confere o seu traço único (coisa raríssima!) e os melhores perfis do maior tigrão dos sete-mares!