Maria Surkova – Bela Russia

Malditos russos e seus artistas foderosos!

Entra em campo mais uma artista daqueles confins gelados liderados pelo czar Putin. Maria Surkova usa seu traçado firme para dar vida aquele tema que todos nós amamos ver e rever de novo: contos de fadas. Sem falar em outras ilustras loconas com temas surreais diversos, como misticismo e coisas afins. Ela não é exatamente famosa, mas tem tudo para se destacar nos próximos anos. Basta olhar para os trabalhos da garota.

002-unholy-project-maria-surkova 004-unholy-project-maria-surkova 99d278a4f457504eb76f7f5f530b0983 207fddc13ae8f5424665d950d7eeeee1 Indrukwekkende-zwart-wit-illustraties-Maria-Surkova-9 Indrukwekkende-zwart-wit-illustraties-Maria-Surkova-10 tumblr_megav49zUr1rpdy8wo1_500 tumblr_mfxz446DqD1qgaylpo3_500 tumblr_mhc2jzE2pH1qbc9oso2_500 tumblr_mhc2jzE2pH1qbc9oso3_500

Alexei Antonov – Svoloch!

Este é mais um destes comunistas que a gente jura que, o dia que encontrar, vai quebrar os braços! E tem que ser os dois porque, para melhorar a situação, o cara é ambidestro!

Alexei Antonov é um pintor ao estilo clássico: curte retratar natureza morta e todas aquelas coisas que artistas da geração Y acham super bored. Mas… caralho! Quando você olha a qualidade das pinturas do maluco você tem vontade de aprender palavrões em russo!

Vejam abaixo algumas das belas telas a óleo do cara.

1247560717_in_the_arch Alexei Antonov  (2) Alexei Antonov  (3) Alexei Antonov  (8) Alexei Antonov  (9) Alexei Antonov  (10) Alexei Antonov  (11) Alexei Antonov  (12) Alexei Antonov 14 Alexei Antonov 20 Alexei Antonov Video_grape

Ivan Bilibin – Final Infeliz

Esta é para quem curte ilustrações old-school de livros do inicio do século passado.

Ivan Bilibin foi um influente ilustrador russo de livros de contos de fantasia e designer teatral que contribuiu para cenários e montagens de famosas companhias russas de balé. Sua arte tem um toque suave e de cores muito bem marcadas – influenciada pela arte japonesa antiga que muitos europeus da belle époche pagavam um pau. Quando rolou a quizumba da revolução russa ele teve que sair fugido do país, pois os sovietes acreditavam que a arte tinha sempre que ter uma aplicação prática para a classe trabalhadora… blá,blá,blá! Baixo-astral total! No entanto, quando a poeira baixou um pouco, ele voltou para seu país.

Péssima ideia! Pois logo depois rolou a Segunda Guerra e Ivan morreu durante o Cerco de Leningrado. Puta que o pariu!

Yana Moskaluk – Fugindo do Frio

Tem poucos russos aqui no blog, vamos falar de uma ilustradora do maior pais do mundo!

Yana Moskaluk sempre gostou de desenhar, mas seus pais insistiram que ela deveria ficar na Sibéria estudando para sabe-se-lá-o-quê. No terceiro ano de facul mandou tudo às favas e foi para Moscou trampar como ilustradora, isso com apenas 19 anos. Dedicou-se ao seu estilo e desenvolveu um traço limpo e belo, como suas ilustras demonstram – e agora romperam as fronteiras da Mãe Rússia para o restante do mundo. Vejam um pouco a arte da camarada ilustradora logo abaixo.

Vania Zouravliov – do Tudo um Pouco

Vamos de mais um russo este mês. Desta vez nosso convidado é Vania Zouravliov.

Esse malucão tem um traço belíssimo e temas extremamente variados: religião, morte, Japão, indio, escola, folclore de diversos países e, é claro, as tradições russas. Absolutamente TUDO lhe serve de inspiração. E sempre que pode ele dá um pequeno toque pervertido às imagens, mas sempre com uma aura poética.

Apreciem!

Phobs – O Lápis na frente de Batalha

Ano-Novo… vida nova… ideias novas!

Neste ano de 2012 (que muitos julgam ser o último…) teremos que abrir nossas cabeças à machadadas para absorver novos paradigmas, não importa quanta titica seja espalhada no processo. E para começar este ano com algo inusitado: tente misturar o horror da Segunda Guerra Mundial…

…com o traço fofinho das personagens de W.I.T.C.H. da Disney!!!

O resultado foi uma forma muito pessoal de reler os eventos de um dos momentos históricos mais cruciais da humanidade! Chamando a atenção logo de cara, Phobs conseguiu trazer para este período tão sombrio uma leveza típicamente “disnyana”. Olhamos para Heinrich Himler – o mentor do holocausto – e chegamos quase a gostar dele!

Obviamente não é, de maneira alguma, intenção de Phobs fazer apologia ao nazismo, e nem faria sentido pois o seu país foi o mais fustigado pelos motherfuckers nazi durante a segunda guerra. No entanto igualmente não é ideia dele seguir o senso comum dos “nazistas-malvadões-monstros”. Todos os personagens, seja do lado Aliado ou do lado do Eixo, são retratados de maneira cômica, mas levando em conta aspectos reais da história de cada um deles. E isso inclui Stalin, De Gaulle, Imperador Hiroito e outras figurinhas desta época. Dá para aprender muito mais sobre a Segunda Guerra nas tirinhas do Phobs do que numa aula pobre de História num colégio público do Brasil.

Apreciem algumas das obras dele abaixo e o restante aqui ==> http://phobs.deviantart.com/