Pedro Campos – Promoção da Gôndola

O segredo dos pintores hiperrealistas é pegar um tema aleatório e desenhar até a mão cair. Simples mesmo!

Mestre Campos (cujo nome super comum tornou difícil achar informações sobre ele no google…) é deses. E o tema/tara dele sãos os objetos que a gente trás do supermercado. Isso me faz questionar se o tesão dele são os objetos em si ou se são os saquinhos de supermercado…

Bora conferir o trampo dele abaixo!

Tjalf Sparnaay – Gordisse

Há algumas semanas falamos do mano Tom Martin e suas guloseimas hiperrealistas. E hoje vamos conhecer mais um pintor de gostosuras: mestre Sparnaay.

Este holandês também curte fazer uma telas de dar água na boca e, ao contrário de seu colega inglês, ele se especializou só nisso mesmo. Além de comida dentro de embalagens e potes, ele também faz umas coisas frescas, saudáveis e gourmet!

Você pode conferir as telas abaixo e depois comer um lanche leve para não engordar!

Tom Martin – A Arte de Comer

Você é do tipo que não resiste à uma guloseima, seja snacks saudáveis ou junk food, este artista é o teu herói!

Mano Martin faz algumas pinturas hiperrealistas de comida, notas de dinheiro e, ocasionalmente, uma muié pelada. Certamente são os seus quadros saborosos que mais chamam a atenção, até porque em alguns deles ele não desenha exatamente a comida, mas a embalagem das comidas.

Abra um pacote de salgadinhos e aprecie as telas do cara logo abaixo!

 

Willi Kissmer – Nova Roupa Molhadinha

“Desenhe aquilo que você sabe fazer melhor!” não é a primeira vez que eu ergo esta lebre aqui no blog, pois existem muitos artistas que se especializam em apenas um tema e o desenha ad infinitum e vivem vidas muito prósperas como artistas investindo só neste Ultra Combo.

Mestre Kissmer se especializou em roupas de mulher! Mas não… ele não é estilista, mas um pintor. Este alemão curte desenhar as minas e suas roupa,s muito vezes rasgadas e molhadas – alias, as mulheres que serviram de modelo para as telas de roupas molhadas agarradas no corpo provavelmente pegaram uma gripe!

Vamos curtir abaixo as telas do maluco!

David Ligare – Greco-Américo

A palavra “contemporâneo” é muito confusa, pois uma coisa que era “contemporânea” na década de 60 do século XX não é mais na década de 10 do século XXI. Seja como for, mestre Ligare é considerado “contemporâneo”, apesar de muitas de suas telas terem a cara dos movimentos artísticos dos anos 70 ou coisa assim.

Ah, quem se importa? O cara manja muito! O estilo dele esbarra no clássico grego e tem um quê de hiperrealismo defasado, mas que ainda é muito bacana de se observar!

Só dar uma conferida nas telas do moço logo abaixo!