Vicente Romero Redondo – Rolinhos Redondinhos

Quando eu era pequena eu adorava desenhar com pastel, mas não os de palmito (*melhor piada do ano!*). Lembrava um pouco o giz de cera da época da pré-escola, embora eles fossem muito mais delicados e profissionais. Infelizmente, este tipo de material é meio caro e não pude treinar muito com ele.

Mas eu ainda admiro muito artistas que investem nesta técnica, como o mestre Redondo. Suas telas são todas trabalhadas no pastel e ele sabe imprimir uma imensa delicadeza em suas figuras. O estilo do cara lembra bastante o Impressionismo, fazendo a gente lembrar do Edgar Degas, principalmente quando o mano começa a pintar bailarinas. O modo como ele também trabalha a luz é muito bonito.

Você pode curtir as telas suaves e seu estilo impressionista impressionante (*segunda melhor piada do ano!*) logo abaixo.

 

Willi Kissmer – Nova Roupa Molhadinha

“Desenhe aquilo que você sabe fazer melhor!” não é a primeira vez que eu ergo esta lebre aqui no blog, pois existem muitos artistas que se especializam em apenas um tema e o desenha ad infinitum e vivem vidas muito prósperas como artistas investindo só neste Ultra Combo.

Mestre Kissmer se especializou em roupas de mulher! Mas não… ele não é estilista, mas um pintor. Este alemão curte desenhar as minas e suas roupa,s muito vezes rasgadas e molhadas – alias, as mulheres que serviram de modelo para as telas de roupas molhadas agarradas no corpo provavelmente pegaram uma gripe!

Vamos curtir abaixo as telas do maluco!

Ziraldo – Ilustrador Maluquinho

São poucos no Brasil que jamais ouviram falar no nome de Ziraldo. Ou mesmo de seu personagem mais icônico: o Menino Maluquinho. Mas o que muita gente não sabe é que este ilustrador brasileiro não apenas criou excelentes personagens para os quadrinhos infantis (incluindo também a Turma do Pererê) como também trabalhou para diversas mídias impressas nas suas longas décadas de carreira.

Ziraldo trabalhou desenhando posters de filmes, capas de livros, ilustrações publicitárias e editoriais. Ficou famoso com suas charges no mítico jornal O Pasquim, onde na companhia de vários outros artistas desafiava a censura da ditadura militar.

A carreira deste cara é vasta! E o que vamos apresentar aqui neste posta é apenas uma pequeeeeena pincelada em alguns de seus trabalhos! Confira!

David Ligare – Greco-Américo

A palavra “contemporâneo” é muito confusa, pois uma coisa que era “contemporânea” na década de 60 do século XX não é mais na década de 10 do século XXI. Seja como for, mestre Ligare é considerado “contemporâneo”, apesar de muitas de suas telas terem a cara dos movimentos artísticos dos anos 70 ou coisa assim.

Ah, quem se importa? O cara manja muito! O estilo dele esbarra no clássico grego e tem um quê de hiperrealismo defasado, mas que ainda é muito bacana de se observar!

Só dar uma conferida nas telas do moço logo abaixo!

Daniel Hernandez Morillo – Delicadeza

Hora de conhecermos mais um artista de estilo clássico!

Mestre Morillo, artista peruano, nos presenteia com belas telas exibindo a beleza da Belle Époque! Como muitos artistas da sua época, ele viajou para Paris, na França, e mimetizou o estilo vigente da época – sem falar nos maneirismos e costumes da sociedade européia daqueles tempos.

Suas telas são super delicadas e exibem belas cenas cotidianas. Apreciem!