Craig Kosak – Pássaros e Pantone

Existem muitos artistas que curtem desenhar um único tema e mesclá-los com um estilo pessoal todo bacanudo. O senhor Kosak, no caso, curte desenhar uns corvo e cachorro e pintar telas que parecem ilustrações modernosas.

Pequenos detalhes, como a “paleta” de cores que aparece numa tarja nas extremidades da tela, dão um toque todo especial e modernoso, embora ele utilize técnicas bem tradicionais.

Observem algumas das belas telas do homem abaixo!

ck12

Caspar David Friedrich – Eu e eu mesmo

Antes de começar a falar do artista de hoje, observem esta pintura:

 

Esta pintura se chama “Caminhante sobre o mar de névoa”. Quadro pintado no ano de 1818 pelo senhor Caspar David Friedrich, gravurista alemão.

Observe esta imagem… qual é a coisa mais anacrônica de todas nela? O que, provavelmente, deveria estar acontecendo se esta cena se repetisse nos dias atuais?

Simples! O cara, ao invés de estar perdido em pensamentos, observando esta incrível demonstração da natureza, ele estaria tirando uma selfie ou coisa parecida!

Esta imagem se tornou uma espécie de representante do “indivíduo romântico”, aquele que sai pelo mundo em busca de si mesmo. Muito poético e filosófico! E é a obra mais famosa de Herr Friedrich.

Mas ele não fez só isto! Como poderão conferir abaixo, ele fez mais uma porrada de pinturas boas! Muitas delas também representando pessoas solitárias em cenários grandiosos!

Carne Griffiths – Chá Colorido

Hoje vamos conhecer a obra do Sr “Carne” que adora pintar com chá.

Sim, este inglês maluco pinta com chá. Oh, faz muito sentido! Ele tá lá de boa, bebericando seu mate, desenhando… aí cai chá na folha e ele pensa: “Este papel especial 100% algodão de gramatura 300 custou uma nota! Nem fodendo eu vou desperdiçá-lo!” e aí finaliza a arte com chá mesmo.

Vamos conferir um pouco das suas ilustrações, adoçada com estévia, logo abaixo!

EPSON scanner image

Aron Wiesenfeld – Arte Assombrada

A arte existe com o propósito de nos causar emoções.

Seja de deslumbramento, admiração, amor, medo, solidão, asco, risos, etc. Se você olhou para uma peça de arte e ela te causou alguma emoção e você não pára de falar dela, então a arte cumpriu seu papel (tipo, quando você sai de uma exposição do Romero Britto… éééé, mesmo que saia falando mal, ainda assim a arte dele teve um significado).

Os quadros do senhor Wiesenfeld são rodeados por um clima sombrio e estranho. Você sente alguma familiaridade, uma certa ligação com suas imagens um tanto misteriosas e até assustadoras. Apesar do traço ‘simples’, a obra dele sabe passar bem uma emoção.

Confira abaixo!

Type = ArtScans RGB : Gamma = 2.000

Gérard Trignac – Ponto para a Fuga

Antes de trabalhar com ilustração, Gérard Trignac queria ser arquiteto. Aí você olha para as ilustras dele e pensa: “Não brinca!”

Estes francês ama réguas e pontos de fuga e os defende (e usa) até a morte! Muitos de seus cenários mostram grandes estruturas vazias, e algumas um tanto quanto decadentes. Pode-se dizer que algumas delas seriam ambientações perfeitas para filmes de horror.

Você pode conferir um pouco da sua beleza (e esforço!) nas pranchas abaixo: