Kelley Jones – Heróis Sombrios

Quando, pela primeira vez eu comecei a comprar quadrinhos de super heróis, (época dos velhos “formatinhos” da editora abril, uma época em que a gente nem se incomodava com frescuras como capa dura e qualidade de papel) eu conheci um cara dono de um traço que me deixou vidrada: Kelley Jones!

O mano tinha um traço mais sombrio, com grandes e dramáticos contrastes, puxado para os quadrinhos de terror. Eu adorei instantaneamente! Curtia muito o Batman das “orelhas gigantes” que ele desenhava. Achava – e ainda acho – o estilo muito foda!

Voltei a ver a arte dele quando conheci Sandman e achei mais fodona ainda! O modo como ele faz os mantos esvoaçantes é muito legal! Hoje ele não aparece mais tanto nos quadrinhos, mas seu trabalho ainda é demais! Dá um confere!

Fukuda Hiroshi – Samurai Psicodélico

Um traço estiloso e diferente no meio quadrinístico não se vê todos os dias. Mas quando eles aparecem, muitos deles são de encher os olhos!

Mestre Hiroshi é criador do mangá Mushibugyō e sua continuação, Jōjū Senjin!! Ele possui um traço super dinâmico, soltão e sabe usar as cores de uma forma bem psicodélica! Você pode conferir facinho o que eu digo dando um confere nas pranchas do cara logo abaixo!

Travis Charest – Traço Paciente

Antes do ano acabar, o mestre Charest merece uma revisitada!

Vamos ver algumas destas pranchas fodelosíssimas do cara, entre elas algumas páginas da edição de Metabarões que ele nunca concluiu… pena! mas a arte dele está aí para ser conferida! E você pode conferir mais delas no site do cara bem AQUI!

Frederic Soulacroix – Mundo Reluzente

Estamos seguindo um combo violento de pintores clássicos aqui no blog e vamos continuar nesta vibe, desta vez apresentando mestre Soulacroix.

Quando vi as telas dele pela primeira vez, fiquei apaixonada pelos tecidos que este maluco pintava! Todas as suas figuras parecem tão refinadas e elegantes, sem falar que sua técnica é belíssima! Por este motivo ele foi um pintores preferidos pelos ricaços de sua época que curtiam muito o seu estilo, meio realista e meio renascentistas – cheio de querequequês!

Você vai poder conferir as belas telas do cara logo abaixo!

Vicente Romero Redondo – Rolinhos Redondinhos

Quando eu era pequena eu adorava desenhar com pastel, mas não os de palmito (*melhor piada do ano!*). Lembrava um pouco o giz de cera da época da pré-escola, embora eles fossem muito mais delicados e profissionais. Infelizmente, este tipo de material é meio caro e não pude treinar muito com ele.

Mas eu ainda admiro muito artistas que investem nesta técnica, como o mestre Redondo. Suas telas são todas trabalhadas no pastel e ele sabe imprimir uma imensa delicadeza em suas figuras. O estilo do cara lembra bastante o Impressionismo, fazendo a gente lembrar do Edgar Degas, principalmente quando o mano começa a pintar bailarinas. O modo como ele também trabalha a luz é muito bonito.

Você pode curtir as telas suaves e seu estilo impressionista impressionante (*segunda melhor piada do ano!*) logo abaixo.

 

Willi Kissmer – Nova Roupa Molhadinha

“Desenhe aquilo que você sabe fazer melhor!” não é a primeira vez que eu ergo esta lebre aqui no blog, pois existem muitos artistas que se especializam em apenas um tema e o desenha ad infinitum e vivem vidas muito prósperas como artistas investindo só neste Ultra Combo.

Mestre Kissmer se especializou em roupas de mulher! Mas não… ele não é estilista, mas um pintor. Este alemão curte desenhar as minas e suas roupa,s muito vezes rasgadas e molhadas – alias, as mulheres que serviram de modelo para as telas de roupas molhadas agarradas no corpo provavelmente pegaram uma gripe!

Vamos curtir abaixo as telas do maluco!