Hy Hintermeister – Dias Felizes

Sempre há espaço neste blog para aqueles grandes artistas que retratam a vida idealizada e feliz que nós tanto queremos! Não se trata de “negar a realidade”, mas de enxergar e ser grato pelas pequenas coisas boas da vida, que podem ser muito grandes dependendo do modo como você olha! Decerto, aqueles que vêem a vida só como um mar cinza são os que realmente estão negando a realidade!

Vamos ver mais alguns belos quadros da dupla John Henry e Henry Hintermeister!

William Hogarth – O Hipster dos Quadrinhos

Existem muitos artistas que, embora suas técnicas não fossem exatamente incríveis, eles se destacaram por estarem na vanguarda de movimentos artísticos e ideias revolucionárias. Mestre Hogarth aqui ficou conhecido por ser considerado, ainda no século XVII, o percursor dos quadrinhos!

Muitas das sua gravuras – e alguns de seus quadros – mostravam “antes e depois” de diversas situações cotidianas. Embora elas fossem carregadas da moralidade da época, eram realmente bem interessantes do ponto de vista artístico. Muitas delas tinham texto explicativo e em alguns até proto-balões de fala, na forma de pergaminhos saindo da boca dos personagens… era realmente um proto-quadrinhos!

Sem falar que seus quadros também eram revolucionários pelas suas honestas retratações do cotidiano. Ele também foi um dos primeiros a pintar retratos da “classe operária”, a qual este tipo de privilégio era negado pela falta de recursos.

Você pode conferir abaixo alguns de seus quadros e gravuras!

Juarez Ricci – Estilão Bonitão

Apesar do nome meio espanholado, Juarez é brazuca! E um excelente ilustrador!

O traço dele é meio cartoon, meio realista. Quase no estilo das caricaturas (que ele também faz!). Seu desenho é bem soltão e as cores que ele manda são muito fodas! Apesar de serem feitas no esquema Ctrl +Z, elas imitam o estilo orgânico do pincel tradicional!

Vocês podem conferir algumas pranchas do cara logo abaixo:

Juanjo Guarnido – A Volta do Gato Preto

Já faz muito tempo que eu tô devendo um repeteco de mestre Guarnido. E esta época é boa, pois a sua famosa série Blacksad está sendo REPUBLICADA aqui no Brasil!

Sim, a editora Sesi-sp resolveu pegar a franquia e republicar os dois primeiros albuns e, se tudo der certo, publicar os inéditos! Maravilha! O primeiro, BLACKSAD: 1 – ALGUM LUGAR EM MEIO ÀS SOMBRAS, já está disponível! Vão atrás!

E enquanto vocês vão separando a graninha para comprar os álbuns, confira uma amostra nova das artes do cara abaixo!

Oh! Great! – Demaaaaais!

Um dia, o mangaka Ito Oogure descobriu que seu sobrenome tinha uma sonoridade semelhante à frase em inglês “Oh, great!” bom, mais ou menos, na verdade. Mas isto foi suficiente para ele adotar este pseudônimo. E cara… até que orna!

Considerado um dos mais incríveis ilustradores da japa, Oh! Great! foi autor de pelo menos dois mangas de grande sucesso: Tenjou Tenge e Air Gear. São títulos com artes simplesmente fenomenais! Embora o roteiro… a bem da verdade, o próprio autor é o primeiro a admitir que ele é um roteirista medíocre. Todos os enredos que ele cria são apenas plataformas para ele desenhar cenas de ação e movimento foderosas, juntamente com mulherada de peito e bunda de fora.

Confira abaixo algumas das pranchas do cara!

Mary Ellen Mark – “Nada é mais extraordinário que a Realidade”

Hoje vamos conhecer uma fotógrafa fodona! Madame Ellen ficou conhecida por suas fotos “fora do mainstream da sociedade”. Enquanto seus colegas estavam preocupados em glamour e notícias empacotadas de jornal, ela fotografava o trivial, o comum e que, mesmo assim, ainda deslumbrava e chocava!

Ela curtia o estilo “fotografia documental social”, sempre abordando temas pesados para a época, como prostituição, doenças e bailes de debutante (super pesado!). Mulher forte e opinativa nas suas visões, ela continuou demonstrando compaixão para com seus temas (leia-se “modelos”), frequentemente mantendo relacionamentos com eles muito depois que seu trabalho estava terminado.

Abaixo algumas de suas fotos, entre anônimos e celebridades!

j01 j02 j03 j04

A little boy creates his own fantasy game amid his junky surroundings, in this photograph by Mary Ellen Mark,

j06 j07 j08 j09 j10 j11 j12 j13

501J 194 16A, 11/16/04, 9:32 AM, 16G, 4718x6772 (807+639), 100%, Hujar 91604, 1/120 s, R74.1, G57.6, B80.5

E nesta última… a dama em pessoa:

Mrs Fodona Ellen!

jellen

Hy Hintermeister – Dupla Dinâmina

Embora muitos considerem a arte pictória uma atividade solitária, existem muitos que possuem a ajuda de um companheiro, realizando seus trabalhos à quatro mãos. É o caso de John Henry Hintermeister e seu filho Henry Hintermeister … woa! A criatividade para nomes dos filhos chegou aí e parou!

Seja como for, esta dupla de pintores, sempre assinando seus quadros como Hy Hintermeister, tornou-se notória nos Anos de Ouro dos Estados Unidos (década de 50, principalmente) ilustrando o dia a dia dos americanos de vida boa. Muitas cenas bucólicas, muita vida na cidade, pessoas felizes e contentes. Quando você bate o olho nos quadros dos caras, você logo pensa em Norman Rockwell. Bem, certamente o mestre foi inspiração para estes dois artistas, já que eles eram contemporâneos.

Uma coisa que eu achei interessante é que os caras ilustravam muitas cenas de crianças brincando com seus vovozinhos e vovozinhas. Muito bonitinho! Confira abaixo!